Quarta, 21 de abril de 2021
Brasília 19º MIN 28º MAX
Dólar R$ 4,1944
domingo, 28 de março de 2021 às 12:13

Jesus e a Páscoa

Por Roberto Veloso

Roberto Veloso é juiz federal

Roberto Veloso é juiz federal

“Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família.” (Êxodo, 12:3)

A páscoa judaica foi instituída por Deus para celebrar a libertação do povo hebreu da escravidão do Egito. Era o prenúncio da vinda de Jesus Cristo para a libertação dos pecados. Enquanto o cordeiro do povo hebreu livrou os primogênitos da morte física, possibilitando a saída do cativeiro, o Cordeiro de Deus, Jesus, livra-nos do pecado e da morte eterna, a espiritual.

O cordeiro da páscoa judaica foi tomado no décimo dia do primeiro mês e guardado dentro de casa. Jesus entrou em Jerusalém no mesmo décimo dia do primeiro mês, para nós o domingo que antecede a ressurreição. Jerusalém representa, no caso, a casa de Israel.

“No dia seguinte, a numerosa multidão que viera à festa, tendo ouvido que Jesus estava de caminho para Jerusalém, tomou ramos de palmeiras e saiu ao seu encontro, clamando: Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor e que é Rei de Israel!” (João 12:12,13 )

O cordeiro sempre esteve vinculado ao sacrifício para a salvação. Assim se deu com Abraão e Isaque, surgindo o cordeiro para salvar Isaque da morte. Quando os israelitas saíram do cativeiro da Babilônia comemoraram a páscoa com a morte de um cordeiro:

“Mataram o cordeiro da Páscoa para todos os que vieram do cativeiro, para os sacerdotes, seus irmãos, e para si mesmos.” (Esdras 6:20)

A diferença é que o Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, veio para o sacrifício para nos libertar definitivamente da escravidão do pecado, nos salvar da condenação eterna e proporcionar a ressurreição e vida para sempre.

O sacrifício de Jesus ocorrido durante a páscoa judaica significa que Ele é o sacrifício eterno e perene, representando o Cordeiro de Deus, sem mácula, sem pecado, puro. O único sangue que tira o pecado do mundo é Jesus.

“Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés.”  (Hebreus 10:12,13)

E aquele sangue derramado do cordeiro e passado nas ombreiras e na verga da porta pelas famílias de Israel no êxodo do Egito, agora é representado pelo sangue de Jesus. E o Seu sangue nos justifica e nos purifica de todo o pecado. Quem tem Jesus no coração e o aceita como Senhor e Salvador não entra em juízo, passa da morte para a vida eterna.

Fonte: Redação AZ Brasília

Mais do AZ Brasília

Os fantasmas do Trump
Espaço livre
Os fantasmas do Trump
A ciência da mão de Deus
Espaço livre
A ciência da mão de Deus
Por José Sarney
A Pandemia
Espaço livre
A Pandemia
Por José Sarney

Dê sua opinião: