Quinta, 06 de maio de 2021
Brasília 19º MIN 28º MAX
Dólar R$ 4,1944
terça, 20 de abril de 2021 às 10:25

Embaixador chinês e ministro da Saúde do Brasil reforçam compromisso por mais vacina e insumos

O embaixador chinês, Yang Wanming, reforçou o compromisso de seu país em fornecer insumos das vacinas Coronavac e AstraZeneca/Oxford ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde. Em reunião com o ministro Marcelo Queiroga na segunda-feira (19/4), Wanming ressaltou que a China tem se empenhado em oferecer o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a fabricação de imunizantes pelo Instituto Butantan e pela Fundação Oswaldo Cruz. A parceria tem permitido a produção nacional de vacinas enquanto o Brasil não garante a autossuficiência na fabricação do IFA.

Queiroga e o representante diplomático chinês já haviam se reunido no dia 5 de abril. Desta vez, também participou o diretor do Butantan, Dimas Covas. Nos dois encontros, o ministro reiterou o apreço pela cooperação sino-brasileira e agradeceu o apoio recebido no combate à Covid-19.

"Vamos trabalhar juntos para superar essas dificuldades e vencer essa pandemia. Queremos produzir mais vacinas no Brasil. A vacina é a resposta que temos que dar para a população brasileira. Precisamos acelerar o nosso programa de vacinação", pontuou o ministro.

O embaixador chinês reconheceu o empenho do ministério em imunizar os brasileiros. “O Instituto Butantan é um parceiro confiável da Sinovac (laboratório chinês que desenvolveu a vacina Coronavac). A parte chinesa compreende a necessidade brasileira de mais vacinas e essa é uma de nossas prioridades.", destacou o embaixador. Wanming disse, ainda, que a China oferece imunizantes a mais de 100 países e precisa vacinar seu 1,4 bilhão de habitantes.

Fonte: Com informações do Ministério da Saúde

Mais do AZ Brasília

Rio de Janeiro começa a aplicar vacina da Pfizer contra covid-19
Vacinação no Rio
Rio de Janeiro começa a aplicar vacina da Pfizer contra covid-19
Em crianças, covid-19 pode apresentar sintomas diferentes, diz USP
Em crianças, covid-19 pode apresentar sintomas diferentes, diz USP
Vacinação reduz pela metade morte entre idosos com mais de 80 anos
Eficácia
Vacinação reduz pela metade morte entre idosos com mais de 80 anos

Dê sua opinião: