Quarta, 21 de abril de 2021
Brasília 19º MIN 28º MAX
Dólar R$ 4,1944
segunda, 05 de abril de 2021 às 17:43

Aras quer Nunes Marques na relatoria da ação de cultos religiosos

Foto: Fellipe Sampaio

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu hoje (5) ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que o ministro Gilmar Mendes deixe a relatoria da ação sobre a validade do decreto do estado de São Paulo que proibiu a realização de cultos religiosos como medida de prevenção à disseminação da covid-19. Mais cedo, Mendes manteve a validade do decreto.

Segundo o procurador, o processo deve ser relatado pelo ministro Nunes Marques, que, no sábado (3), atendeu ao pedido de liminar feito pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) e liberou a realização de cultos, desde que os protocolos sanitários sejam respeitados.

De acordo com Aras, a questão sobre a validade de decretos estaduais que impedem a realização de cultos religiosos deve ser conduzida por Nunes Marques, conforme as regras do regimento interno do STF.

“A verificação das datas de propositura e de distribuição, bem como a caracterização da coincidência de objetos das ações recomenda seja a ADPF 811/SP redistribuída, por prevenção/dependência, ao ministro Nunes Marques, relator da ADPF 701/MG (mais antiga)”, argumentou Aras.

Na ação em que Gilmar Mendes manteve a validade do decreto de São Paulo, Aras sustentou que a Constituição assegura o direito à liberdade religiosa. Para o procurador, igrejas e templos podem funcionar, desde que sejam respeitados os protocolos sanitários contra o novo coronavírus (covid-19).

Diante do impacto provocado pelas decisões de Mendes e Nunes Marques, o caso será decidido na quarta-feira (7) pelo plenário da Corte.

Fonte: Com informações da Agência Brasil

Mais do AZ Brasília

CNJ lança aplicativo para egressos do sistema prisional
Direitos Humanos
CNJ lança aplicativo para egressos do sistema prisional
Fachin pede para mudar para a Primeira Turma do STF
Justiça
Fachin pede para mudar para a Primeira Turma do STF
STF confirma liminar que mandou instalar CPI da Covid
Justiça
STF confirma liminar que mandou instalar CPI da Covid

Dê sua opinião: