Quinta, 29 de julho de 2021
Brasília 19º MIN 28º MAX
Dólar R$ 4,1944
sexta, 18 de junho de 2021 às 10:37

Guterres inicia segundo mandato como secretário-geral da ONU

Foto: Divulgação ONU

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, toma posse nesta sexta-feira (18) para novo mandato, em sessão plenária da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York. “Construtor de pontes” e “intermediário honesto” é como se apresenta o ex-primeiro-ministro português.

Em março deste ano, Guterres apresentou a visão para o segundo mandato de cinco anos no cargo. No início de maio, durante diálogo informal na Assembleia-Geral das Nações Unidas, respondeu às questões dos países-membros e da sociedade civil. Descreveu-se então como “construtor de pontes”.

António Guterres, que inicia o novo mandato ainda em contexto de pandemia, propõe-se a trabalhar como um “intermediário honesto” e a prosseguir em missões como a resposta a “riscos existenciais”: além da covid-19, a crise do clima, o meio ambiente, as desigualdades em escala internacional, os ataques aos direitos humanos, a segurança digital e a proliferação de armas nucleares. 

A recomendação do Conselho de Segurança para a recondução de António Guterres foi aprovada no dia 8 de junho por unanimidade.

Recentemente, na antecâmara da última cúpula do G7, na Grã-Bretanha, o secretário considerou insuficiente o número de 1 bilhão de doses de vacinas contra a covid-19, prometidas pelos países mais ricos para impulsionar as campanhas de vacinação nas nações desfavorecidas.

Em Londres, há precisamente uma semana, antes de se deslocar a Carbis Bay para a cúpula, Guterres defendeu a adoção de uma perspectiva de economia de guerra: “Precisamos reconhecer que estamos em guerra com um vírus”.

Fonte: Com informações da Agência Brasil

Mais do AZ Brasília

Manifestantes de Cuba recebem sentenças de prisão
Repressão
Manifestantes de Cuba recebem sentenças de prisão
Controle da peste suína africana na China segue complicado
Internacional
Controle da peste suína africana na China segue complicado
Chefe do Comitê Olímpico não descarta cancelamento de última hora
Olimpíadas de Tóquio
Chefe do Comitê Olímpico não descarta cancelamento de última hora

Dê sua opinião: