Quinta, 29 de julho de 2021
Brasília 19º MIN 28º MAX
Dólar R$ 4,1944
quinta, 17 de junho de 2021 às 13:22

Com eficácia de 47%, vacina da CureVac contra covid-19 falha em teste

A empresa de biotecnologia alemã CureVac NV informou nessa quarta-feira (16) que sua vacina contra covid-19 foi só 47% eficaz em um teste de estágio avançado, ficando aquém do objetivo principal do estudo e causando dúvidas sobre a possível entrega de centenas de milhões de doses à União Europeia (UE).

A baixa eficácia da vacina, conhecida como CVnCoV, foi mostrada em uma análise provisória baseada em 134 casos da doença, em estudo com cerca de 40 mil voluntários na Europa e na América Latina.

As apostas para a CureVac e para possíveis compradores europeus da vacina aumentaram depois que limites de idade foram impostos no uso dos imunizantes da Johnson & Johnson e da AstraZeneca, devido a problemas de coagulação extremamente raros, mas potencialmente fatais.

Também se esperava que a vacina da CureVac ajudasse países de renda baixa e média, que estão muito atrás de nações mais ricas no esforço global de imunização.

Firmando os únicos acordos grandes de suprimento com a CureVac, a UE garantiu em novembro até 450 milhões de doses da vacina, das quais 180 milhões são opcionais. O negócio veio após um memorando de entendimentos firmado com a Alemanha para a entrega de mais 20 milhões de doses.

Negociadas na bolsa dos Estados Unidos, as ações da CureVac caíram 50,6% e ficaram em US$ 46,81 após o pregão, na esteira da publicação dos dados.

A empresa disse que ao menos 13 variantes do vírus respondem pelas infecções na população estudada.

Fonte: Com informações da Agência Brasil

Mais do AZ Brasília

Anvisa suspende autorização de importação da vacina Covaxin
Saúde
Anvisa suspende autorização de importação da vacina Covaxin
Covid-19: Brasil registra 169 casos da variante Delta
Estudo
Covid-19: Brasil registra 169 casos da variante Delta
Butantan libera 1,5 milhão de doses da Coronavac ao PNI
Pandemia
Butantan libera 1,5 milhão de doses da Coronavac ao PNI

Dê sua opinião: